Blog livre,para dar sugestões e denunciar problemas de qualquer natureza que afectem Alfena. Participem comentem digam da vossa justiça com seriedade. ALFENA precisa de todos.

26
Ago 09

Alfena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Alfena
Gentílico alfenense, penteeiro, queimadelense
Concelho Valongo
Área 12,83 km²
População 20 000 hab. (2005)
Densidade 1 421,2 hab./km²
Orago S. Vicente de Alfena
Código postal 4445
   
Freguesias de Portugal

Alfena é uma freguesia portuguesa do concelho de Valongo, com 12,83 km² de área e 20 000 habitantes (2005). Densidade: 1 421,2 hab/km². Esta área e dividida por 14 zonas Baguim, Igreja, Reguengo, Transleça, Ferraria, Rua, Aldeia Nova, Barreiro(de cima e de baixo), Gandra, Outeiro, Codiceira, Lombelho, Cabeda e Xisto. Foi elevada a vila por deliberação do plenário da Assembleia da República em 30 de Junho de 1989.

Índice

  • 1 Nome
  • 2 Situação
  • 3 Vias de comunicação
  • 4 Principais actividades económicas
  • 5 Indústrias
  • 6 Equipamentos
  • 7 Entidades desportivas
  • 8 Património
  • 9 Festas e romarias
  • 10 Imagens de Alfena
  • 11 Ver também

 

Nome

Alfena nem sempre correspondeu à actual designação. Na Idade Média, era conhecida por S. Vicente de Queimadela, enquanto que Alfena era um mero lugar daquela freguesia. Alfena é nome único na toponímica de Portugal.

Existem duas interpretações relacionadas com a origem do nome Alfena. Uma delas tem em conta o nome de um arbusto, chamado alfeneiro, utilizado para tingir ou embelezar. A outra interpretação diz que, segundo P. António Carvalho da Costa, Alfena “tomou este nome de uma batalha que ali demos aos Mouros, em que entraram sete condes. Em linguagem árabe, Alfena queria dizer batalha.”Esta última interpretação baseia-se na semelhança da palavra árabe “Alfella”, que quer dizer “campo ou arraial”, com Alfena. Mas, a interpretação mais correcta parece ser a primeira.

Segundo António Russo Cabrita, na sua Monografia do Concelho de Valongo, à página 97, o nome Alfena vem da época da invasão árabe, Al-Henna, designação de um arbusto que existia em abundância na região e, ainda hoje, é encontrado na Serra de Valongo. Na vila de Alfena, cultivam-se estes arbustos com o propósito de manter viva a memória toponímica.

 

Situação

É vila é a mais setentrional do concelho, confortando-se com os vizinhos municípios de Santo Tirso, a nordeste, e Maia, a noroeste. O seu território ocupa uma área de aproximadamente 13 km², envolto das congéneres Ermesinde, a sudoeste, e Valongo, a sudeste (já elevados à categoria de cidade).

Convém referir que pelo extenso e alongado vale de Alfena, corre o Rio Leça, nos seu curso natural, acompanhado por uma planície a perder de vista, pontuada aqui e além por pequenos planaltos

 

Vias de comunicação

Actualmente as principais vias de comunicação da vila de Alfena são, estrada nacional nº105, de Porto a Santo Tirso, a nacional nº105-1 de Ermesinde a Alfena, onde ambas cruzam o centro urbano da vila.

Alfena encontra-se num local privilegiado, a nível de rede rodoviária, através da A41 (antiga IC24) os habitantes de Alfena conseguem em poucos minutos chegar a capital nortenha a cidade do Porto, estando esta auto-estrada ligada a outras auto-estradas e vias importantes como a A3 que liga Braga ao Porto, a A28 que liga Viana do Castelo a Matosinhos, e a Via Norte, mas tem como principal ligação as cidades de Paços de Ferreira, Felgueiras, Chaves.

De grande utilidade, mas de nível um pouco secundário, temos a estrada Valongo – Cabeda e a estrada que liga Alfena a São Romão, permitindo alcançar outras direcções.

 

Principais actividades económicas

As principais actividades económicas praticadas em Alfena são o comércio, agricultura, pecuária e avicultura. A que ocupa a maior parte da actividade é o comercio, embora, a agricultura também denote bastante importância, uma vez que é um sector que nos dias de hoje se torna rentável a par das industrias pecuária e avicultura.

 

Indústrias

A vila tem evoluído de uma forma bastante acelerada, existindo já três grandes zonas industriais, estando já em fase de conclusão a quarta zona. Isto é devido ao facto de Alfena estar a apenas 12 quilómetros do Porto, sendo uma grande valia para situar empresas dentro dos seu limites, criando novos postos de trabalho. A indústria situada é diversa e são numerosos os armazéns nas zonas industriais.

 

Equipamentos

  • 5 pré-escolas
  • 5 escolas do 1º ciclo
  • 1 escola do 2º e 3º ciclo
  • 1 escola Secundária
  • Centros de Estudo e Explicações
  • OTL's
  • Centro Social Paroquial de Alfena (CSPA)
  • Infantários e ATL
  • Centro Social (CSPA)
  • Centros de 3ª Idade (CSPA)
  • Complexo Social Deficientes (CSPA)
  • Centro de Saúde (Unidade de Saúde Familiar)
  • Museu (CSPA)
  • Policlínicas
  • Centro de Enfermagem
  • 3 Farmácias
  • Rancho Folclórico Alfena
  • Escuteiros (C.N.E. - Agrupamento 0479 de Alfena)
  • Casa da Juventude Alfena
  • Grupo Columbófilo
  • Piscinas Municipais de Alfena
  • Centro Cultural de Alfena
  • Bibliotecas
  • Guarda Nacional Republicana de Alfena
  • Espaço Social
  • Bancos
  • Comércio
  • Serviços
  • Restaurantes
  • Bares e Cafés
  • Correios
  • Pavilhão Gimnodesportivo

 

Entidades desportivas

Atlético Clube Alfenense que tem como principais modalidades desportivas o futebol, atletismo, ténis, basquetebol, futebol de salão entre outras.

CSPA centrando-se no hóquei em patins, patinagem artística e caratê.

 

Património

  • Ponte de São Lázaro
  • Ponte dos Sete Arcos
  • Portal do Ribeiro
  • Portal das Telheiras
  • Capela de S. Lázaro datada de 1623
  • Parque de S. Lázaro
  • Igreja e Capela da Senhora do Amparo
  • Igreja da Senhora da Paz Datada de 1 de Maio de 1993
  • Igreja Matriz Benzida sob a protecção do Mártir S.Vicente, padroeiro de Alfena, no dia 23 de Agosto de 1964
  • Capela de S. Roque (ligada ao Caminho de Santiago)
  • Capela da Nossa Senhora da Conceição
  • Capela da Nossa Senhora da Piedade (Quinta das Telheiras)
  • Museu Etnográfico de Alfena (situado no Polo II do C.S.P.A.)
  • Centro Cultural de Alfena (antiga escola primária)

 

Festas e romarias

  • São Vicente (22 de Janeiro ou transitando para o Domingo seguinte)
  • São Lázaro (Domingo que precede o Domingo de Ramos) - é costume nesta festa oferecer-se às namoradas o doce tradicional (Regueifa de Cornos)
  • Senhora do Amparo (último domingo de Julho) - esta romaria é famosa pelos seus belos tapetes ao longo de todo o percurso da procissão (Igreja de S. Vicente [Matriz] à Igreja da Nossa Senhora do Amparo), feitos à base de flores, serrim pintado, sal, entre outros materiais, a N. Sra. do Amparo é também a padroeira dos estudantes universitários de Alfena.

Na procissão da festa, os universitários da Vila prestam-lhe homenagem, acompanhando a procissão trajados. Quando a procissão chega à Igreja da Sra. do Amparo, os estudantes estendem as capas para que a Sra. passe por cima.

publicado por alfenaparatodos às 15:31

Gostei muito da descrição de Alfena, tem coisas que já sabia e outras que desconhecia. Bom trabalho. Sugeria que colocassem mais imagens de Alfena.
Poderiam tambem criar posts de actividades juvenis realizadas ou a realizar em Alfena.
Alberto Serralves a 28 de Agosto de 2009 às 18:15

Nas noticias de alfena podem e devem ser divulgados todos os eventos do que aqui se vai passando. Obrigado pela participação.

Lembro-me de ter lido um documento antigo, que dizia que Alfena Tenha sido em tempos (idade média), chamada de Val dos leprosos,
em que existia um senatorio que trata dos mesmos e que Alfena deriva do nome de uma planta de origem Arabe que abundava na região na altura e que suponho que ainda existe.
Planta essa que era utilizada para sarar as feridas abertas, proprias dos sintomas daqueles que a contraiam.
HFT a 2 de Setembro de 2009 às 00:20

agradecemos o seu comentário, se tiver possibilidade de saber mais alguma coisa documentada sobre este assunto gostaríamos de acrescentar à história de Alfena.
alfenaparatodos a 2 de Setembro de 2009 às 13:30

Durante a Idade Média, Alfena era conhecida por S. Vicente da Queimadela, numa clara alusão à lepra e ao Hospital de Leprosos que existia no lugar de Alfena (hoje lugar da Rua - imediações de S. Lázaro).

O topónimo Alfena deriva da palavra árabe «ALHENNA» que designa uma planta mediterranica da família das oliveiras, cujo nome científico é «ligustrum vulgare», e que era utilizada para tingir e para alguns usos medicinais. Na actualidade, o brasão da Vila apresenta dois ramos da planta, um florido e outro frutado, sendo que o arbusto pode ser observado em diversos jardins da Vila, mormente junto na Rua de S. Vicente, entre a rotunda e a ponte do «Penteeiro».
RRibeiro a 24 de Setembro de 2009 às 01:04

Saudações a todos os Alfenenses,

Gostaria que me informassem qual a "documentação", que diz que um dos gentílicos pode ser "penteerios", sem contar com a Wikipedia.

Obrigado.
MSC 
Marco Salazar da Costa a 3 de Outubro de 2013 às 17:53

Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
27
28

30
31


Clique nos ANUNCIOS
arquivos
pesquisar
 
links
mais sobre mim
contador
online
comentários recentes
Pois já se passaram 5 anos e o que melhorou? Tudo ...
   Este Sr. está cheio de razão ,porque ...
BoasJá agora... o Alfeneiro aguenta-se para sebe? ...
Saudações a todos os Alfenenses, Gostaria que me ...
Boa noite, segundo me informaram na proxima semana...
Ora cá está um "regresso" que merece ser saudado.....
Pedido de ajuda ao povo de AlfenaAcontece desta fo...
Em tempo útil, dei informações à Junta de Freguesi...
bom congresso.... nem que seja um so dia... realme...
Em primeiro lugar, gostaria de felicitar o autor d...
blogs SAPO