Blog livre,para dar sugestões e denunciar problemas de qualquer natureza que afectem Alfena. Participem comentem digam da vossa justiça com seriedade. ALFENA precisa de todos.

10
Dez 13

Cavaleiros e cavalarias - BV Ermesinde a vergonha que está na "génese", Cavaleiros da ordem da benemerência. 

 

Tem coisas na vida em que o silêncio só beneficia os infractores. 

  

  Neste caso um problema na cidade vizinha de denunciada falta de moralidade, valores e princípios por parte de quem comanda os bombeiros e da direcção que permite que a justiça seja adiada ou ignorada. Em vez de ser cabalmente esclarecida.

 

Mas dizem que os factos e as provas estão vivas, e  acabei por conhecer a "vítima" e ouvir a versão dos factos na primeira pessoa.  
Com o que sai publicado no blog do sr. Celestino, mais uma vez são factos que qualquer um com boa integra não poderá pactuar, vindo a serem provados é claro.
É tão culpado quem comete um crime como quem é cúmplice e "lava as mãos " como Pilatos, e se desculpam chamando cobarde a quem fundamentadamente receia represálias, sem terem tido a iniciativa de pelo menos investigar o que tinha acontecido e assim o assunto ficar naturalmente resolvido.

'Deixar no ar' um conjunto de dúvidas com o prejuizo da imagem para todos os envolvidos seja para a alegada "vitima" quer o alegado "agressor" pessoa conhecida e com 40 anos de serviços prestados..


Senão fosse o envolvimento da "amizade" politica o caso já teria sido resolvido normalmente ou estaria no tribunal à muito tempo caso fosse considerado um caso criminal.
Não tenho nenhuma relação com os Bombeiros da cidade de Ermesinde, e não sou sócio, mas ao receber no correio um conjunto de babuseiras e apelo ao voto numa lista A, em que só um "papalvo" pode acreditar e não ver um único pedido de Desculpa pelo silêncio sobre o alegado comportamento desrespeitoso e infame de assédio sexual a uma bombeira, leva-me a concluir que (citando o que vêm no folheto recebido em casa) "...não vem na nossa génese esse tipo de comportamento..." mas investigar e levar esta situação até ao fim ficaria muito bem à direcção.
Agora percebi porque as Corporações de Bombeiros vizinhas nos seus processos de recrutamento referem que as "as mulheres são bem vindas" não somos como a outra aqui ao lado" é uma vergonha este assunto estar "na boca do mundo" e quem devia zelar pelos seus fica à espera que os sócios façam alguma coisa.

Afinal para que servem os órgãos sociais? 

A pobreza de valores é grande, e a de ideias pior ainda, que nem propostas apresentam a votos, a Lista A.


Mais noticias e factos publicados aqui!   DENUNCIA PUBLICADA no BLOG dos BOMBEIROS e CLIQUEM AQUI PARA LER DETALHES

Notas: 1ª imagem e texto direitos de autor : Publicado: bve.pt - Data: 19 de Fevereiro de 2013 pelo Jornalista Hugo Silva

 


publicado por alfenaparatodos às 09:39

18
Jun 12

Mais uma medida importante e atenta do novo Presidente da CM de Valongo, em defesa dos interesses do concelho e das suas freguesias.


Urgência do Hospital de Valongo ia encerrar à noite, mas medida foi suspensa

18 Junho 2012:  ARSN voltou atrás numa medida que ia entrar em vigor na segunda-feira (veja aqui o artigo original) por: Roberto Bessa Moreira

 

 

A Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) preparava-se para, já a partir da próxima segunda-feira, encerrar a Urgência do Hospital de Valongo durante a noite. A medida já tinha sido comunicada ao corpo clínico e provocou a indignação do presidente da autarquia local, que foi mantido à margem de todo o processo.

 

João Paulo Baltazar chegou mesmo a anunciar um pedido de reunião ao ministro da Saúde, mas um encontro, na quarta-feira, com o presidente do organismo responsável pela saúde a nível distrital levou à suspensão do fecho da Urgência e da reunião como Paulo Macedo.

Medida suspensa até nova solução

A Urgência do Hospital de Valongo vinha funcionando 24 horas por dia, tendo ao serviço dois médicos e dois enfermeiros. Mesmo depois deste Hospital ter sido, em Abril de 2010, integrado no Centro Hospitalar de São João, é aqui que os utentes de Valongo, São Martinho do Campo, Sobrado, São Pedro da Cova, São Cosme e Gandra se dirigem em casos de emergência.

 

 

 

 

 

 

Porém, este horário iria mudar já a partir da próxima segunda-feira. A ideia da ARSN passava por encerrar a Urgência à meia-noite, mas não aceitar a inscrição de doentes a partir das 22h00.

No dia em que foi confrontado, informalmente, com esta decisão da ARSN, João Paulo Baltazar garantiu ao VERDADEIRO OLHAR que, em momento algum, a autarquia foi informada desta medida. Nem mesmo durante uma reunião que, na semana passada, o edil teve com Rui Cernadas, representante da ARSN. "Essa foi uma reunião que eu solicitei e que tinha três pontos, sendo que nenhum deles estava relacionado com o encerramento da Urgência", disse. Porém, no dia seguinte, quarta-feira, João Paulo Baltazar reuniu-se com o presidente da ARSN, Castanheira Nunes, e com o presidente do Centro Hospitalar de São João, António Ferreira.

Desse encontro saiu a decisão de suspender o fecho da Urgência  "até ser encontrada uma solução que responda de forma eficaz às necessidades da população", como salientou o autarca em declarações à Agência Lusa. "Fico satisfeito por ter havido o bom senso de suspender esta decisão e o cuidado de trabalhar em função dos munícipes", acrescentou.

 

 

© 2012 Verdadeiro Olhar, Publicações Periódicas, Lda

 

 

 

 

publicado por alfenaparatodos às 10:12

Curiosidades gerais sobre o concelho eCorrelação de forças que obrigam a uma maior atitude de diálogo na Câmara. Aspectos praticos sobre o novo Centro de Saude de Alfena, entre outros assuntos.

 

A composição da Câmara em cima da mesa

questão de relação de forças ou de atitude?

 

"Decorreu hoje, 15 de junho, a reunião da Câmara Municipal de Valongo, segunda presidida oficialmente pelo novo presidente da autarquia, João Paulo Baltazar. E esta não será uma questão acessória, pois nas intervenções feitas no decurso desta reunião ficou bem patente haver expetativas mais elevadas quanto ao papel do líder do Executivo no que respeita à defesa dos interesses do município. Mas também um alerta para que o autarca não esquecesse a correlação de forças naquele órgão. Mas se mais razões houvesse para que João Paulo Baltazar não esquecesse este ponto, Arnaldo Soares lembrá-lo-ia, quando ao discutir uma proposta de regulamento sobre o serviço de transportes escolares, apontou que só tinha recebido a mesma juntamente com a Ordem de Trabalhos, não podendo por isso pronunciar-se de antemão sobre ela, ao contrário das forças políticas da Oposição, dada a indicação de que Afonso Lobão caucionara a referida proposta e de que Pedro Panzina teria inclusive introduzido nesta várias alterações a partir da sua análise. Ora se bem que só nesta proposta divergisse a posição do vereador Arnaldo Soares da proposta trazida à Câmara pela maioria, não ficou bem a perceber-se se ele poderia ou não, por vezes, juntar o seu voto ao da Oposição ou... juntar o seu voto ao resto da Oposição.

 

Fotos URSULA ZANGGER
Fotos URSULA ZANGGER
Afonso Lobão deu o pontapé de saída na sessão, no período de Antes da Ordem do Dia, criticando o grave desrespeito dos órgãos descentralizados da Administração Central pelo Poder Local, isto a propósito o anunciado encerramento do serviço de urgências noturno no Hospital de Valongo. Encerramento esse que, provavelmente, será mesmo para encerrar, temia o vereador socialista. Citando depois as preocupações do Observatório da Saúde que apontavam para que o povo português estava em sofrimento, Afonso lobão incitou o novo presidente da autarquia, João Paulo Baltazar, a afirmar-se como uma voz ativa na defesa do concelho, nomeadamente contra a perca de qualidade dos serviços da Administração Central perante a comunidade municipal.

 

No mesmo sentido interveio de seguida Maria José Azevedo, que classificou como «arrogância» a atitude dos serviços desconcentrados da Administração Central, que sendo [apenas] designados, têm um comportamento de completo desprezo pelos representantes locais eleitos. A vereadora reconheceu então que João Paulo Baltazar teria outras condições que o anterior presidente, e garantindo que estaria a seu lado na afirmação do concelho de Valongo.

«Temos, contudo, que falar, porque a relação de forças na Câmara Municipal de Valongo se mantém».

A autarca aconselhou então João Paulo Baltazar a manter o pedido de audiência urgente ao ministro da Saúde, embora tenha sido suspenso o encerramento da urgência noturna do Hospital de Valongo.

Finalmente Maria José Azevedo abordou a questão do marco rotário que Pedro Panzina, nos mesmos termos, já tinha abordado na reunião anterior, manifestando surpresa pela «homenagem» da Câmara Municipal de Valongo (CMV), quando o assunto nunca tinha sido nesta ventilado.

Pedro Panzina reforçou também uma anterior intervenção no sentido de que as intervenções externas da CMV fossem previamente acompanhadas da discussão nessa matérias no órgão colegial que é a Câmara.

Finalmente, e quando João Paulo Baltazar já se preparava para responder, como habitualmente, às intervenções da Oposição, Arnaldo Soares usou ainda da palavra para «reforçar tudo aquilo que tinha sido dito», considerando que «aquilo a que assistimos hoje é a uma visão economicista e pouco social, o que pode voltar a colocar-nos o estigma» de um concelho aonde só se vem dormir.

 

RESPOSTAS DO PRESIDENTE

 

 

foto
Sé então chegou a vez de João Paulo Baltazar, que começou por informar da reunião havida entre si e os representantes da ARS/Norte e Centro Hospitalar de S. João, reunião essa, explicitou, na qual tinham sido abordadas quatro questões: a começar pela do encerramento da urgência, sobre o que ficou a ARS/Norte de realizar um estudo no qual pudesse ficar assegurado o menor prejuízo para os utentes do concelho, fosse qual fosse a solução encontrada.

 

Outras questões abordadas tinham sido o Centro de Saúde de Campo, relativamente ao qual, tendo-se a ARS/Norte comprometido a lançar concurso já este mês, continuava a CMV a desconhecer o projeto, e sendo-lhe alheias outras questões porventura pertinentes deste, ao menos era necessário conhecer os impactos que poderia trazer à rede viária, já que se situaria à margem da EN 209, uma via sem passeios... Isto para que não se repetisse o que se passava agora com o Centro de Saúde de Valongo, com vários problemas desta ordem para resolver.

Outra questão abordada teria sido o Centro de Saúde de Alfena, tendo sido dada a garantia de que o projeto será feito este ano, para poder ser inserto no orçamento do ano seguinte.

Finalmente, tinha-se também abordado a questão da fusão dos ACES (Agrupamentos dos Centros de Saúde), tendo João Paulo Baltazar sentido a necessidade de defender a qualidade dos serviços de saúde do concelho [com unidades recentemente premiadas], em reação às infelizes declarações do presidente da Câmara da Maia.

O que se pretendia saber eram os critérios que tinham motivado a apresentação da portaria que determinava a fusão dos agrupamentos de Valongo e Maia.

Abordando depois as relações entre as forças políticas do concelho, João Paulo Baltazar afiançou que não se podiam cometer os mesmos erros e faltas de consideração que se criticava nos órgãos da Administração Central relativamente a Valongo, que esta não era somente uma questão de correlação de forças, mas também de atitude.

O presidente da CMV passou depois a informar a recente reunião havida com o chefe de Gabinete da ministra da Justiça, tendo ido ali apresentar preocupações pelo impacto sobre as populações e pelo impacto sobre os funcionários. Também sobre a imagem de desperdício dada a todos pelo desaproveitamento de um equipamento de construção tão recente quanto é o Tribunal de Valongo. O autarca terá então recebido a informação de que o estudo de que se tem vindo a falar sereia um estudo pirata, não oficial. Que estava garantido que em Valongo não haveria qualquer diminuição do número de juízes, e que numa reordenação de serviços judiciais, O concelho de Valongo nunca ligaria a Vila Nova de Gaia, fora dos circuitos de normal acessibilidade.

O estudo só seria apresentado na próxima semana, sendo depois objeto de discussão pública.

João Paulo Baltazar voltou depois a abordar a questão dos rotários reafirmando não se ter tratado de uma homenagem da Câmara, mas apenas de um apoio à implantação de um marco rotário.

 

ORDEM DO DIA

 

 

foto
Teve início a discussão da Ordem do Dia com a apresentação de uma proposta para que fosse incluída na Ordem de Trabalhos um ponto sobre o lançamento de uma candidatura, no âmbito do IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional) relativa à contratação de funcionários para as escolas do concelho, tendo este ponto sido aceite.

 

A primeira questão a ser objeto de alguma discussão foi o projeto de regulamento no âmbito da educação do serviço de transportes escolares. Todos os outros pontos relativos à educação foram aprovados sem qualquer oposição (aplicação das medidas da ação social escolar, serviço de fornecimento de refeições e funcionamento da componente de apoio a família).

Sobre a questão dos transportes escolares é que Arnaldo Soares não transigiu, apontando que há que atender a especificidades que o regulamento não contempla. Não bastaria assegurar o transporte escolar aos alunos a mais de 4 kms do estabelecimento de ensino. Mas sobre as situações particulares, Maria Trindade Vale considerou que com o levantamento feito pelos agrupamentos e em articulação com as juntas de freguesia, essas questões particulares se resolviam. Arnaldo Soares é que não ficou convencido e deu o exemplo de uma situação anteriormente detetada, de dificuldades de transporte nas freguesias de Sobrado e Alfena, tendo então a CMV ajudado a resolver a questão de Sobrado, mas não a de Alfena. Sendo questões específicas não deveriam estar no regulamento, apontou João Paulo Baltazar, posição essa também defendida por Pedro Panzina, que além do mais apontou que não se podia criar um regulamento que estivesse fora das hipóteses de subsidiação. Não era no regulamento que deviam colocar-se as questões levantadas por Arnaldo Soares, mas sim no Plano Anual de Transportes. Mas talvez Arnaldo Soares, que já teve o pelouro das Finanças, soubesse como podia resolver-se o assunto.

O vereador respondeu de imediato, e lamentando que não quisessem ouvi-lo, apontou que já tinha deixado o pelouro das Finanças há seis ou sete meses, mas que tinha tido na última sessão da Câmara a notícia muito feliz de que o município já não estaria no grupo daqueles com mais problemas financeiros. E o regulamento poderia sempre ser mais favorável do que a lei.

Pedro Panzina responder-lhe-ia que não estava no seu direito retirar a palavra a Arnaldo Soares, e pelo contrário, defenderia sempre que ele tivesse esse direito à palavra. A questão de Arnaldo Soares seria outra, não o regulamento, mas o tratamento diferente dado a duas freguesias. Isso, considerava, também estava resolvido no novo regulamento.

Feita a votação foi o projeto de regulamento aprovado com 1 voto contra (de Arnaldo Soares).

O ponto inserto na Ordem de Trabalhos foi justificado por Maria Trindade Vale, que explicou que os agrupamentos e a Câmara tinham concluído da necessidade de contratar 105 funcionários, e tal só podia ser feito em articulação com o IEFP. A avaliação e escolha dos candidatos seria feita entre beneficiários do Rendimento Social de Inserção, num processo idêntico ao do ano anterior.

A questão teria ainda de ser submetida à Assembleia Municipal, dado tratar-se de despesa plurianual.

 

1ª ALTERAÇÃO AO ORÇAMENTO CORRIGIDO

 

Luísa Oliveira, do PS, anunciou que o PS irias viabilizar esta proposta de alteração, no sentido de não prejudicar questões urgentes do funcionamento camarário, embora se mantivesse a situação da inexistência de um Plano e Orçamento formal.

Posição idêntica anunciou Maria José Azevedo. E Pedro Panzina viria também reconhecer legitimidade, de acordo com a lei, para alterar o orçamento em curso, resultante da gestão em duodécimos, a partir do último Plano e Orçamento aprovado. Fez todavia um reparo pertinente, sobre o facto de não concordar com a dedução feita pela Administração Central pelos serviços de cobrança do IMI, quando inclusive a Câmara Municipal dispensara técnicos, pagos por si, para apoiar essas operações. Haveria assim um dupla tributação imposta à Câmara, que erra inadmissível.

Feita a votação foi a proposta aprovada, com 4 votos a favor e 5 abstenções (PS + CM).

João Paulo Baltazar anunciaria ainda que, na próxima semana provavelmente já seria conhecido o Plano de Apoio à Economia Local, já aprovado em Conselho de Ministros, mas entretanto enviado para discussão no Parlamento. Poder-se-ia então avaliar das vantagens ou não desse instrumento relativamente a outras formas de financiamento garantidas junto da banca."

Por: LC (Luis Chambel) A Voz de Ermezinde

 

 http://www.avozdeermesinde.com/noticia.asp?idEdicao=248&id=8054&idSeccao=2627&Action=noticia

publicado por alfenaparatodos às 09:46

06
Nov 11

É ler para crer: em menos de 10 minutos, um deputado da Assembleia Municipal de Matosinhos conseguiu uma mais valia de 16 milhões de euros em negócio de compra e venda de terreno. por CM 

 

 O “Correio da Manhã” escreveu hoje que Jaime Resende, que é um dos deputados da Assembleia Municipal de Matosinhos, conseguiu lucrar 16 milhões de euros em menos de 10 minutos num negócio de compra/venda de alguns terrenos em Valongo.

Jaime Resende comprou recentemente um conjunto de terrenos por quatro milhões de euros. Pouco tempo depois, vendeu-o dez minutos depois por 20 milhões de euros.

Os referidos terrenos são em Alfena, Valongo, e estavam classificados como Reserva Ecológica Nacional (REN). Foram adquiridos por Jaime Resende por 4 milhões de euros, segundo as escrituras a que o jornal “Correio da Manhã” teve acesso.

 

Nem COMENTO!!!

 

publicado por alfenaparatodos às 23:27

25
Jul 11

Como já foi aqui noticiado em 26 de Agosto de 2009, (...)Segundo António Russo Cabrita, na sua Monografia do Concelho de Valongo, à página 97, o nome Alfena vem da época da invasão árabe, Al-Henna, designação de um arbusto que existia em abundância na região e, ainda hoje, é encontrado na Serra de Valongo. Na vila de Alfena, cultivam-se estes arbustos com o propósito de manter viva a memória toponímica.(...) a origem do nome da nossa Cidade vem de AL-Henna.

Mas hoje esse nome é tambem a designação de uma Associação, que aqui apresento à comunidade, com um objectivo meramente jornalistico.

Alguns dos responsaveis desta nova Associação foram pioneiros deste Blog que tinha o objectivo da proximidade com a população e com a lista do PSD/CDS da altura, candidata ás Eleições Autarquicas em Alfena. Após estes dois anos e pelo facto de se julgar extinta a razão de continuar a existir este Blog ficou muito tempo silencioso. Mas com a ajuda e participação da comunidade este Blog poderá cumprior o seu papel de proximidade, mesmo sem estar a partir de hoje (ou de hà muitos meses) ligado a qualquer lista ou ideia do passado.

Como último guardião da mensagem ALFENA PARA TODOS, irei divulgar sempre que seja oportuno noticias sobre Alfena.

Passo assim a informar:

Nasceu

 

ESTATUTOS

Artigo 1.º

1.  A associação adopta a designação de “«AL HENNA» - Associação para a Defesa do Património de Alfena“, é criada sem fins lucrativos e por tempo indeterminado, e tem a sua sede na Rua Central do Barreiro, n.º 109, freguesia de Alfena e concelho de Valongo.

2.  A Associação para a Defesa do Património de Alfena tem por objecto a defesa e recuperação do património histórico, arqueológico, edificado, etnográfico, cultural e, bem assim, do património natural, paisagístico e ambiental da Vila de Alfena e zona envolvente; estudos e investigações nas várias áreas de interesse histórico-arqueológico, ambiental, cultural e sócio-económico.

3. São fins gerais da associação:

a) contribuir para a defesa e recuperação dos valores mais significativos do património histórico, arqueológico, edificado, etnográfico, cultural e, bem assim, do património natural, paisagístico e ambiental da Vila de Alfena e zona envolvente;

b) proceder a estudos e investigações nas várias áreas de interesse histórico-arqueológico, ambiental, cultural e sócio-económico;

c) promover iniciativas que visem a divulgação das realidades ambientais e culturais, incrementando o interesse das pessoas, em geral, por estes assuntos;

d) colaborar com as instituições locais, regionais e nacionais em todas as actividades e decisões que, no respeito pela natureza, pela cultura, pela história e pela arte, contribuam para a efectiva melhoria das condições de vida das populações;

e) fomentar e incentivar projectos de desenvolvimento local, nomeadamente através da organização de cursos de formação profissional e apoio à constituição de empresas alternativas.

4.  A associação poderá desenvolver, com carácter acessório, actividades de natureza comercial, desde que o produto dessas actividade tenha por finalidade o financiamento das suas actividades principais.

 

Citando um dos fundadores "Fazer da associação uma mais valia na sociedade Alfenense é o nosso grande desafio. Saber contribuir para o enriquecimento do património de Alfena, desenvolvendo trabalho e iniciativas que ajudem no progresso da Vila. Fazer do estudo e da investigação, congregando esforços que se encontram dispersos, a forma de actuação. Gostamos muito de alfena, a equipa é multidisciplinar e formada por gente competente e empenhada, por isso, vamos agora ao trabalho!"  Sergio Sousa 

  

Os orgãos sociais são:

 

Mesa de Assembleia Geral

Presidente          :   Cláudia Maria da Silva Dantas                              

Vice-Presidente   :  Anabela de Assunção Costa Paulo Magalhães     

Secretário           :   Sérgio Joaquim Maia Marques                              

 

          Direcção

Presidente          :   Ricardo Jorge Monteiro Ribeiro                        

Vice-Presidente   :   Dário Nuno da Silva Teixeira                                

Tesoureiro          :   Sérgio Paulo Pereira de Sousa                            

Secretário          :   Daniel Filipe Dias Feliz                                         

Vogal                 :   César Jorge da Silva Vasconcelos                      

Vogal                 :   José Joaquim da Silva Miranda                         

Vogal                 :   Celestino Marques Neves                                   

 

          Conselho Fiscal

Presidente          :   Manuel Joaquim Alves de Oliveira                        

Vice-Presidente   :  Arnaldo de Castro Mamede                                  

Relator               :   Avelino Alves de Sousa                                        

 

Quem pode participar?

"A nossa Associação está aberta à participação de TODOS os que queiram colaborar com a sua livre opinião e ideias para um melhor futuro e para a preservação do património da nossa terra... a nossa herança colectiva.
Os interessados em se associar a este nosso projecto poderão solicitar a admissão para alhenna.associacao@gmail.com ou junto de algum dirigente.
Bem Hajam"

 

Actividades O grupo pelos vistos tem vindo a fazer caminhadas regulares pelos limites da Cidade sendo a ultima realizada este fim de semana 24 de julho,

(...) Mais uma Caminhada... o Reguengo de Cabeda
Senhora da Paz - Ponte do Arquinho - Rua Vasco Santana - Bouça das Poças - Apeadeiro de Cabeda - Mirante de Sousa - Alto do Reguengo - Outeiro da Pedra Talhada - Alto da Costa (Ermesinde) - Vale da Ribeira de Cabeda - Ponte dos Sete Arcos - Rua de Cabeda - Rua do Cabo - Rua do Castanhal (Estrada Real) - Azenha do Castro (foz da Ribeira de Cabeda) - Senhora da Paz.

 

 Espero poder continuar a divulgar outros acontecimentos de relevo, sobre qualquer Acontecimento, assunto ou Associativismo em Alfena.

 

Paulo Basto

  (Alfena para todos)

 

 

publicado por alfenaparatodos às 19:49

07
Abr 11

      

 

 "Por proposta do Partido Socialista

 

e parecer favorável da Junta de Freguesia

foi, ontem, votado por unanimidade na Assembleia da República

a elevação de Alfena à categoria de Cidade.

Todas as forças Politicas foram solidárias.

 

É uma distinção e, também, reconhecimento pelo trabalho desenvolvido pela Junta de Freguesia.

 

Agradecimentos aos que possibilitaram esta decisão e parabéns a todos os Alfenenses.

 

Vamos continuar Unidos a trabalhar pela nossa Cidade - Alfena" por Sergio Pinto

 

Ola amigos estamos perante um facto curioso,

O PS propôs a elevaçaõ de Alfena a Cidade.

Todos aprovaram na Assembleia da Republica.

Incluindo os partidos que não tem representação politica em Alfena,

como PSD, mas a verdade é que foi mais facil haver unanimidade na ASSEMBLEIA da Republica sobre assuntos de Alfena do que na própria Freguesia hoje Cidade de Alfena.

Por isso Unidos em Alfena só mesmo o movimento de cidadãos.

Uma vez cidade chegou o momento de pensarmos mais com a cabeça e pedir aos partidos politicos que não se deixem amordaçar pelos movimentos de cidadãos...que a meu ver nem a isenção de portagens nas SCUTS para acesso á A3 onde não existe alternativa para lá entrar sem ser  a de pagar os 20 centimos, mostraram alguma força ou solidariedade para com os Alfenenses durante os momentos que antecederam tal facto.

Os dois grupos de Independentes fazem 2/3 da população e julgo que nem 1/3 representa o partido socialista. Quanto aos outros partidos não tiveram expressão representativa pelas diversas razões , que já todos conhecem.

Alfena para todos

Paulo Basto

 


publicado por alfenaparatodos às 16:20

14
Out 10

publicado por alfenaparatodos às 23:49

15
Jun 10

 

Mapa de Alfena
.

publicado por alfenaparatodos às 13:24

27
Fev 10

Recentemente fomos confrontados com uma tentativa de cópia, muito mal feita por sinal, das nossas intenções de dialogar e falar a verdade com civismo e grandeza de carácter.

Podemos nem sempre agradar a todos, mas foi a pensar em todos que surgimos e que continuamos por cá.

Não estamos contra ninguém em particular mas não pactuamos com a inverdade nem com roubo de identidades, nem com todo o tipo de blasfémias.

Alfena é a nossa motivação e iremos continuar mesmo com quem pensou que tinha conseguido nos silenciar e usar indevidamente o nosso modelo ALFENA PARA TODOS.

Em breve traremos mais temas para serem apreciados e discutidos neste blog de gente de bem. Mas quem comenta é responsável por aquilo que escreve e só a eles cabe a responsabilidade de serem criticados ou comentados.

A segurança nas matas em frente á escola secundária continuam na mesma…

tem quem agradeça que continue assim pois era aborrecido virem para fora dos arbustos fazerem negociações impróprias… à frente dos alunos todos.

publicado por alfenaparatodos às 13:12

27
Out 09

 

Amigo Marco António,

fiquei surpreendido com a anulação da lista do PSD de jovens, que tinha sido aprovado pelos órgãos do partido, em beneficio de uma lista de menos jovens com a agravante de agrupar todos os traidores do partido e segundo a minha opinião não ganhou nada com isso.

Fiquei a pensar que estivesse a atravessar um momento menos bom de saúde.

Depois de ouvir a sua entrevista em que afirma ser necessário a ruptura de gerações; reflectindo nisso fiquei preocupadíssimo que o amigo Marco António ainda esteja em idade de 1ª geração, mas que o seu cérebro já esteja em estado adiantado do fim da 2ª geração o que poderá faze-lo ficar no fim da 2ª lista, e tenho pena!
Parafraseando
" Corri o mundo aprendi o saber dos desenganos e só depois compreendi quanto valem os anos".
"A rapidez da execução é a inimiga da perfeição"
Como amigo compreendo porque acontece a muito boa gente.
Espero que seja passageiro.
Receba um abraço do seu amigo

 

Moasyr.

publicado por alfenaparatodos às 09:39

Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


subscrever feeds
Clique nos ANUNCIOS
arquivos
pesquisar
 
links
mais sobre mim
contador
online
comentários recentes
Pois já se passaram 5 anos e o que melhorou? Tudo ...
   Este Sr. está cheio de razão ,porque ...
BoasJá agora... o Alfeneiro aguenta-se para sebe? ...
Saudações a todos os Alfenenses, Gostaria que me ...
Boa noite, segundo me informaram na proxima semana...
Ora cá está um "regresso" que merece ser saudado.....
Pedido de ajuda ao povo de AlfenaAcontece desta fo...
Em tempo útil, dei informações à Junta de Freguesi...
bom congresso.... nem que seja um so dia... realme...
Em primeiro lugar, gostaria de felicitar o autor d...
blogs SAPO